Notícias

SENGE e FNE presentes no lançamento da Frente pela Soberania Energética Nacional na Câmara dos Deputados

A Frente visa a manutenção e fortalecimento das concessionárias públicas de energia elétrica, entre elas o Grupo CEEE. A iniciativa é do deputado Pompeo de Mattos (PDT/RS).

Dando sequência à mobilização em defesa das concessionárias públicas de energia elétrica, o Sindicato dos Engenheiros e a Federação Nacional dos Engenheiros estiveram presentes no lançamento da Frente Parlamentar pela Soberania Energética Nacional Mantendo e Fortalecendo as Concessionárias Públicas de Energia Elétrica. 

O ato foi realizado na Câmara dos Deputados, reunindo autoridades e representantes do setor de todo o País. A iniciativa é do deputado Pompeo de Mattos (PDT/RS), que irá presidir a Frente Parlamentar.

O presidente do SENGE-RS, Alexandre Wollmann, também representando a Federação Nacional dos Engenheiros, manifestou seu pesar em relação ao atual momento da política brasileira, em que entidades e a sociedade civil precisam estar atentas à defesa da soberania nacional. “Eu acho que o que está por trás de tudo isso é nossa integridade enquanto nação brasileira, que vemos ser afrontada dia a dia. Acho que a privatização do setor energético é um verdadeiro lesa-pátria”, salientou. Ele também destacou outras Frentes de mobilização que combatem pacotes de medidas do atual governo, como a MP do Saneamento, que representa uma afronta ao setor e que foi derrubada no mesmo dia em reunião de líderes de partidos na Câmara dos Deputados (saiba mais).

“Nós estamos acompanhando e, como engenheiros, queremos fazer o contraponto técnico que possa subsidiar as decisões, trazendo elementos não-factóides para que sirvam aos debates desta Casa, e assim buscarmos a reversão desse cenário que assusta os brasileiros e a Engenharia nacional como um todo”, afirmou Wollmann, ressaltando o apoio do SENGE e da FNE às atividades da Frente Parlamentar e o histórico de mobilização das entidades em defesa das concessionárias públicas de energia elétrica.

Também presente no ato, o diretor do SENGE, Luiz Alberto Schreiner, caracterizou o lançamento da Frente como um grande movimento em defesa do que resta das empresas públicas de Energia Elétrica, Petróleo e Gás, Aviação, Microeletrônica, Nanotecnologia, entre outras.  “É difícil imaginar que, entregando nossas empresas públicas de alta tecnologia, especialmente as do setor energético, juntamente com as nossas riquezas naturais, estaremos avançando na direção de um país melhor”, criticou Schreiner.

Ele ainda citou as empresas do setor, historicamente estratégicas para o nosso desenvolvimento, como as do Sistema Eletrobras (ELETROBRAS, FURNAS, ELETROSUL, CGTEE, ELETRONORTE e CHESF) e as concessionárias estaduais (CEMIG-MG, CEEE-RS, COPEL-PR, CELESC-SC e CEB-DF) ressaltando os impactos da sua desnacionalização  e da entrega do seu patrimônio às empresas privadas a preço vil, juntamente com todo o seu patrimônio tecnológico e acervo técnico humano especializado, sob pena de redução da atividade econômica.

Do ponto de vista técnico-econômico setorial, Schreiner destacou a necessidade de discutir e implementar, de forma urgente, uma ampla e profunda reforma no atual modelo do setor elétrico, que já não atende de forma satisfatória a necessidade de crescimento do mercado nem a sustentabilidade econômico-financeira das empresas. Além disso, a complexidade da atual Regulação tem levado à infindáveis disputas judiciais entre agentes, que oneram os custos de produção e atrasam investimentos, prejudicando o crescimento da oferta de energia, inibindo de forma indesejável o desenvolvimento de novos empreendimentos bem com a ampliação de parques industrias existentes, com consequências sobre o crescimento econômico e a geração de empregos.

Presidente Alexandre Wollmann e diretor Luiz Alberto Schreiner acompanham o protocolo do requerimento para criação da Frente Parlamentar.  

 

Assista a transmissão do lançamento da Frente Parlamentar.

Leia aqui o requerimento, ata de posse, Estatuto e Lista de Assinaturas. 

 

 

Imprima esta página