Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

PRESERVAÇÃO DAS COTAS SOCIAIS DA EMATER: SENGE PARTICIPA DE AUDIÊNCIA NA ALRS

08/09/2021 às 15h00

Em audiência pública da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos, presidente reitera defesa e fortalecimento da EMATER a partir da urgente recomposição das equipes multidisciplinares através de concurso público.

 

 

Representado pelo seu presidente, Cezar Henrique Ferreira, o Sindicato dos Engenheiros participou da audiência pública na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, presidida pelo deputado Airton Lima (PL).

A pauta central da audiência, convocada por iniciativa da deputada estadual Sofia Cavedon (PSOL), foi a precarização do serviço de extensão rural social disponibilizados pela EMATER por todo o Estado.

Mais especificamente, para tratar da situação de abandono de cerca de 200 mil famílias de 140 municípios, dentre os 497 atendidos pela empresa, motivada pela miopia de prefeitos e gestores públicos, que na ânsia por redução de gastos, optam pelo corte do assessoramento técnico de um extensionista social, de vital importância tanto para o núcleo familiar quanto para a coletividade em que está inserido.

Em consonância com as manifestações de diversas lideranças de entidades como o SEMAPI, a ASAE e a Associação dos Extensionistas Rurais Sociais do RS (AERS), o presidente Cezar Henrique destacou no seu pronunciamento a necessidade urgente da recomposição das equipes técnicas básicas, formadas historicamente por um profissional de nível superior (engenheiro agrônomo ou veterinário), um técnico de nível médio e o (a) extensionista social. Para tanto, Ferreira defendeu a realização imediata de concurso público, intenção que aliás, já foi ventilada pela diretoria da EMATER em recente reunião com o SENGE. 

Diante desta possibilidade, Cezar Ferreira conclamou a todas as forças representativas na EMATER, aos membros do governo do Estado e do Legislativo, que unam esforços em apoio à realização do concurso.

Cezar vai além ao afirmar que a EMATER é a principal e a mais eficiente política pública para a agricultura familiar no Rio Grande do Sul, e precisa ser recomposta de forma urgente, seja pela capilaridade do setor na geração de emprego e renda, pela fixação das famílias no campo ou pela ampla capacidade de reinserção social advinda do suporte técnico oferecido ao longo de décadas.

O presidente Cezar Henrique citou em sua manifestação o posicionamento institucional do SENGE favorável à manutenção do controle público da CORSAN, lembrando que, em se tratando de saneamento básico no meio rural, são os profissionais da EMATER que alcançam às famílias e aos produtores importante aporte tecnológico em questões ambientais, recursos hídricos, tratamento de resíduos, entre outras tecnologias vitais para a agricultura familiar e à toda sociedade. Cezar concluiu reiterando os conceitos básicos da assistência técnica e extensão rural, formado pelo desenvolvimento rural, meio ambiente e ação social.

  

 

Leia Também