Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência.

SENGE DEFENDE CORSAN PÚBLICA EM AUDIÊNCIA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

23/04/2021 às 12h00

A menos de uma semana da votação da PEC 280/2019, que retira a necessidade de plebiscito para a venda do Banrisul, Corsan e Procergs, a Comissão de Segurança e Serviços Públicos realizou audiência pública sobre o tema.


A menos de uma semana da votação da PEC 280/2019, que retira a necessidade de plebiscito para a venda do Banrisul, Corsan e Procergs, a Assembleia Legislativa realizou, na quinta-feira (22), mais uma rodada de debates sobre o tema, em uma audiência pública promovida pela Comissão de Segurança e Serviços Públicos.

A audiência virtual foi solicitada pelos deputados Jeferson Fernandes, Edegar Pretto, Zé Nunes e Sofia Cavedon, e reuniu parlamentares, lideranças de associações representativas do funcionalismo e representantes de entidades da sociedade civil contrárias à privatização das estatais.

O Sindicato dos Engenheiros foi representado pelo seu diretor Eduardo Carvalho, que reiterou a posição da entidade em defesa da CORSAN pública, destacando que a Companhia já vinha trabalhando em um planejamento para atender as exigências do Marco Legal do Saneamento, além das ações que já são executadas pela empresa. Assista a participação do diretor do SENGE na audiência. (Confira também a íntegra da audiência)

Autor da Proposta de Emenda Constitucional que incluiu na Constituição Estadual a exigência de realização de plebiscito para privatizar estatais, o ex-presidente do Parlamento gaúcho Vieira da Cunha abriu o debate.  Ele lembrou que a iniciativa foi chancelada, na época, por um quinto das Câmaras de Vereadores do Rio Grande do Sul, que reagiram ao esquartejamento da CEEE e exigiram um posicionamento do Poder Legislativo. O ex-deputado fez duras críticas à intenção do governo gaúcho de privatizar o patrimônio público e afirmou que não se sustenta a justificativa de que as estatais não são lucrativas. “Receio que, se essa sanha perdurar, irão privatizar o Palácio Piratini. É preciso lembrar que o governador foi eleito para administrar o Estado e não para alienar patrimônio”, apontou.

Vale lembrar que o Sindicato vem veiculando mensagem contundente contra a privatização da CORSAN nas principais emissoras de notícias do Estado (Guaíba, Gaúcha, Band) em que questiona a posição do governador Eduardo Leite, que quando candidato se dizia contrário à venda da Companhia e que agora mudou de ideia, configurando a prática de “estelionato eleitoral”.

Também destacamos a participação do diretor Eduardo Carvalho em debate na RDVTV.
 

Com informações da Agência de Notícias da ALRS

 

Leia Também