Chamadas públicas vão apoiar pesquisas para enfrentar a Covid-19

29/07/2020 às 14h40

Profissionais que trabalham com desenvolvimento de inovações voltadas para o combate da covid-19 têm oportunidade de ter os projetos financiados por instituições de ciência e tecnologia. Mais que isso: poderão fazer de sua pesquisa uma solução de biossegurança para a sociedade. Para isso, os pesquisadores deverão inscrever as iniciativas, até agosto, em duas seleções públicas de estudos da patogênese do coronavírus. 

Foto:Divulgação/ASCOM/MCTIC

 

Profissionais que trabalham com desenvolvimento de inovações voltadas para o combate da covid-19 têm oportunidade de ter os projetos financiados por instituições de ciência e tecnologia. Mais que isso: poderão fazer de sua pesquisa uma solução de biossegurança para a sociedade. Para isso, os pesquisadores deverão inscrever as iniciativas, até agosto, em duas seleções públicas de estudos da patogênese do coronavírus. 

Cooperação internacional
Uma das chamadas é internacional e foi lançada pelos ministérios de Ciência e Tecnologia dos países componentes dos BRICS (Bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) com objetivo de apoiar projetos de pesquisa de cooperação entre países para enfrentamento da covid-19. A chamada brasileira, integrante da convocatória global, foi publicada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), e tem as inscrições abertas até 28 de agosto.

As propostas devem envolver pelo menos três dos cinco países do bloco. Serão apoiados projetos com até dois anos de duração em cinco linhas de pesquisa, como novas tecnologias de diagnóstico, vacinas, medicamentos e sequenciamento genético do vírus. A chamada conta com recursos de R$ 5 milhões do MCTI e R$ 1 milhão do Ministério da Saúde.

Para ser apoiada, a pesquisa deve se encaixar nas seguintes linhas:

1.            Pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias e ferramentas para diagnósticos da covid-19.

2.            Pesquisa e desenvolvimento de vacinas e medicamentos para covid-19, incluindo o reposicionamento de medicamentos disponíveis.

3.            Sequenciamento genético da Sars-CoV-2 e estudos sobre epidemiologia e modelagem matemática da pandemia de covid-19.

4.            Inteligência Artificial, TICs e Computação de Alto Desempenho orientados à pesquisa para novos medicamentos, desenvolvimento de vacinas, tratamentos, testes clínicos e sistemas e infraestruturas de saúde relacionados à covid-19.

5.            Estudos epidemiológicos e testes clínicos para avaliar a sobreposição Sars-CoV-2  e outras comorbidades, em especial tuberculose.

Mais informações no site da 
convocatória global e na página do CNPq.

Biossegurança
Outra iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) é a chamada pública de R$ 25 milhões para selecionar propostas de apoio financeiro à execução de projetos institucionais para adequação e implantação de infraestrutura física de Laboratórios e Biotérios de Nível de Biossegurança 3 (NB-3) OMS destinados à PD&I para o desenvolvimento de vacinas, tratamentos e estudos ligados à covid-19.

O prazo limite para submissão de propostas é 13 de agosto. Já a data final para recebimento da documentação digitalizada por e-mail é dia 14 de agosto.

A partir desse edital, o MCTI e sua Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep) esperam adequar o maior número possível de Instituições Científica, Tecnológica e de Inovação (ICTs) para NB-3, conforme orientações internacionais para desenho e construção de espaços biocontidos destinados a operar em alto nível de biossegurança e bioproteção. Com isso, pretende-se ampliar o espectro de laboratórios e biotérios no Brasil capazes de responder a crises sanitárias e avançar em pesquisas para combate a doenças que abranjam todos os graus de severidade, em especial as mais contagiosas, como a covid-19.

Os laboratórios e biotérios NB-3 são instalações essenciais para o desenvolvimento de vacinas, tratamentos e estudos da patogênese do vírus Sars-CoV-2 e outras viroses emergentes.

São elegíveis para participar como convenente e executora Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT) pública e Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT) privada desde que qualificada como Organização Social ou Instituição Comunitária de Educação Superior.
 
Cada instituição executora poderá participar de uma única proposta, com até dois subprojetos. Caso haja demanda qualificada, a chamada deverá, preferencialmente, selecionar pelo menos um projeto para cada região do país. O valor solicitado não poderá ultrapassar R$ 4 milhões.

site da Finep traz mais detalhes sobre a convocatória.

Julianna Curado
Equipe de Comunicação do Confea
Com informações do CNPq, Finep e MCTI

Leia Também