Fábrica de gente, e com dinheiro

09/08/2010 às 00h00

Novo presidente da Ceitec assume com a proposta de valorizar a equipe da estatal

Por Caio Cigana e Guilherme Neves
Zero Hora 05/08/2010

Muito ajuda quem não atrapalha. Esse foi o recado dado por Cylon Gonçalves da Silva, novo presidente da fábrica de chips Ceitec S.A (*), empossado ontem. Na frase, está implícita a postura que deve marcar a gestão do gaúcho: dar espaço para os funcionários trabalharem.

Físico natural de Ijuí e PhD na Universidade de Berkeley, na Califórnia (EUA), o professor Cylon foi empossado pelo ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, na sede da empresa, em Porto Alegre. Assume a companhia após a demissão do executivo alemão Eduard Weichselbaumer no mês passado. Administrador controverso, não habituado aos trâmites da administração brasileira, Weichselbaumer teve uma saída conturbada.

Uma das justificativas para a entrada de Cylon é tentar compensar o atraso da fábrica, em parte, pela demissão de um dos diretores após dificuldades de relacionamento com Weichselbaumer (veja ao lado). Problemas de administração, e não financeiros. Em 2010, o orçamento para a Ceitec é de R$ 50 milhões, da União. Além disso, o ministro garantiu que o governo vai bancar o que for preciso para a Ceitec.

– Dinheiro não é problema, o problema é gestão. Isso aqui é para ser uma fábrica de gente preparada e qualificada. Tudo isso, chips, projetos, prédios, é uma desculpa para essa qualificação das pessoas – declarou Cylon na cerimônia.

Falta é quem assuma a batuta, na analogia do próprio Cylon, que compara a Ceitec a uma orquestra com músicos talentosos, mas sem maestro:

– Essa garotada que está aqui tem brilho no olho, é inteligente, bem formada e comprometida com o projeto. Precisamos organizar a tropa.

À disposição, o novo comando tem uma equipe com 120 membros. Novas contratações devem ser feitas a partir de janeiro, após o período eleitoral.

Na opinião de Cylon, apesar dos problemas enfrentados pela Ceitec no passado, as medidas do ministério para a troca de gestão já animam os funcionários.

Segundo o ministro Rezende, a fábrica da Ceitec levará ainda oito meses para entrar em operação, o que estende o prazo de início da produção, previsto para até o final de 2010, para o meio de 2011 (veja entrevista ao lado). Até lá, um dos primeiros produtos do centro de design, o chip do boi – desenvolvido em Porto Alegre e fabricado fora do Estado – deve chegar ao mercado. Atualmente, o componente está em fase de teste de campo em fazendas de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

(*) A CEITEC S.A. é uma empresa pública federal ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, criada pelo decreto nº. 6638, de 10 de Novembro de 2008. O investimento feito na CEITEC S.A. tem por um de seus objetivos principais o desenvolvimento da indústria eletrônica brasileira através da implantação de uma base sólida no setor de semicondutores.A CEITEC S.A. Possui um Design Center que reúne os melhores profissionais de desenvolvimento de chips digitais e analógicos. A fábrica é a única na América Latina, o que faz da CEITEC S.A. uma pioneira na região.

Leia Também