Notícias

Estudantes participam do UniversiDia, no SENGE

Realizado pelo SENGE em parceria com o PMI-RS, o evento atraiu acadêmicos interessados em adquirir e aprimorar seus conhecimentos na área de gestão de projetos.

Entender mais sobre a atividade de gerenciamento de projetos aplicada ao campo da Engenharia e da Arquitetura. Essa foi a principal motivação de dezenas de estudantes que participaram, na manhã dessa terça-feira (12), do UniversiDia, um encontro promovido pelo SENGE e pelo PMI-RS para difundir o conhecimento e a cultura de gestão de projetos, especialmente entre o público universitário. Realizada no Auditório do SENGE, a atividade se desenrolou ao longo da manhã com palestras e exposição de projetos apresentados por profissionais reconhecidos no mercado.

Já na abertura do evento, a diretora de Apoio e Qualificação Profissional, engenheira Nanci Begnini Giugno, deu as boas-vindas aos acadêmicos e lembrou que a realização do UniversiDia é mais uma das ações que o Sindicato vem desenvolvendo em atenção às diretrizes estabelecidas pelo planejamento estratégico, que busca, dentre outras medidas, a valorização dos profissionais por meio da constante qualificação. Em seguida, a diretora apresentou o vídeo institucional do SENGE, que narra os avanços e conquistas alcançados ao longo dos 75 anos de história da instituição.

Ao agradecer a presença de todos, Nanci falou ainda sobre os planos de dar continuidade à realização do evento em novas edições na Capital e no interior do RS. “Quero agradecer a presença de todos. E quem veio pela primeira vez, retorne. O SENGE está sempre de portas abertas”, encerrou.

Na sequência teve início a primeira palestra da manhã, ministrada pelo diretor do SENGE, engenheiro Alexandre Wollmann. O diretor falou sobre os desafios da Engenharia nacional e traçou um retrato da profissão no Brasil, abordando temas como a responsabilidade técnica e o respeito à profissão de engenheiro.

A exemplo de outros países, disse Wollmann, a Engenharia é usada como elemento-chave para retomada econômica e desenvolvimento. “A Engenharia precisa ser mais valorizada, e isso começa por nós; nós precisamos no valorizar como profissionais”, afirmou, salientando como os casos de corrupção envolvendo empresas como a Petrobrás têm sido usados como artifício para frear o desenvolvimento da ngenharia no Brasil: “Os corruptos têm de ser presos, mas não podem acabar com a nossa Engenharia. Nós estamos perdendo a Engenharia brasileira, isso é um crime de lesa-pátria, nós não podemos deixar acontecer”, enfatizou.

Wollmann falou ainda sobre a importância da educação nesse cenário. No Brasil, apenas 23% dos que ingressam nos cursos de Engenharia concluem a graduação, muito abaixo de países como Rússia, Estados Unidos e Coreia do Sul, por exemplo. Ao lembrar da participação do engenheiro Ozires Marins no Seminário SENGE Inovação Tecnologia e Soberania, realizado em junho deste ano, Wollmann destacou a importância de acreditar no potencial do Brasil. “O SENGE tem participado de diversos eventos acadêmicos e seminários, justamente para engrandecer a Engenharia. Precisamos botar a Engenharia nos postos-chave. Acreditar no potencial do Brasil. A gente tem muito a fazer pelo nosso País”, declarou.

Logo depois, os estudantes assistiram à palestra “Gerenciamento de Projetos, alguns conceitos”, ministrada por Fábio Giordani, presidente do PMI-RS, gerente de projetos da Dell e professor. Giordani, antes de adentrar no tema, seguiu no argumento de Wollmann falando sobre a postura autodepreciativa em relação ao que se faz no Brasil, o que não condiz com a valorosa contribuição que os engenheiros têm dado ao país: “Não se faz uma Embraer, ou um centro de lançamento de foguetes como o que temos em Alcântara em qualquer pais”, destacou, lembrando que um dos mais recentes projetos reconhecidos pelo PMI, organização presente me mais de 200 países, premiou um projeto do grupo CMPC, de Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre. “Esses são exemplos reais que demonstram ao mundo o potencial do Brasil”, destacou. (Acesse o arquivo da palestra)


Evento teve a presença da equipe da Mandala, empresa Jr. de Engenharia Ambiental, da UFRGS

O UniversiDia prosseguiu com a palestra “PMI-EF (Educational Foundation): Gestão de projetos, habilidades para a vida”, ministrada pelo arquiteto Fernando Bartelle. (Acesse o arquivo da palestra)

 

Às 10h, os acadêmicos presentes puderam conhecer mais sobre os desafios da atividade de gerenciamento de projetos com a palestra do engenheiro Rogério Dorneles Severo, diretor regional do SENGE e membro do Conselho Consultivo do PMI-RS. (Acesse o arquivo da palestra)

Em seguida, o último palestrante da manhã, o engenheiro Marco Antonio Kappel Ribeiro, integrante do Conselho Técnico Consultivo do SENGE, ministrou a palestra “ Como o PMI pode ajudar na sua formação de gerente de projetos”. Kappel explicou sobre a cultura de gestão de projetos e sobre as atividades do Project Management Institute - PMI, referência mundial na área de gerenciamento de projetos. O UniversiDia encerrou com a mesa de debates, com a participação dos acadêmicos que expuseram suas questões e dúvidas. (Acesse o arquivo da palestra)

Imprima esta página