Notícias

SENGE presente na inauguração do Complexo Eólico Pontal, em Viamão

Inauguração oficial ocorreu na manhã dessa sexta-feira (11), e Águas Claras, no município de Viamão/RS.

A engenheira Jussara Mattuella, integrante da diretoria e do Conselho Técnico Consultivo do SENGE, participou na manhã dessa sexta-feira (11) da inauguração do Complexo Eólico Pontal da Enerplan, em Águas Claras, no município de Viamão (RS).

O Complexo eólico Pontal conta com 25 aerogeradores que têm capacidade para gerar 59,8MW. Com um investimento de R$ 330 milhões, além da distribuição energia limpa, o parque representa benefícios sociais na geração de emprego e renda.

A presença técnica do SENGE na inauguração do Complexo Eólico Pontal reafirma a atenção do Sindicato nos assuntos de interesse da sociedade. Como destaca a engenheira Mattuella em artigo, obras como essa "só são possíveis com a participação da rica engenharia nacional".


Elbia Gannoum, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Eberson Silveira, coordenador do GT Energia do Governo do Estado, e Jussara Mattuella, do Consellho Técnico Consultivo do SENGE

Segundo a empresa, anualmente, os parques do complexo eólico de Viamão irão possibilitar que mais de cem mil toneladas de CO2 - gás causador do efeito estufa - deixam de ser injetados na atmosfera. A capacidade total de energia da Central Pontal é ao redor de 200.000 MWh ano, distribuídos em três, dos cinco parques do complexo. Já prevendo expansão futura, as linhas linhas de transmissão têm 44 km construídos. Conforme divulgado pela Enerplan, a energia gerada pelos três parques é suficiente para o consumo de 140 mil residências, abastecendo em torno de 320 mil pessoas. Considerando que Viamão tem uma população de 240 mil pessoas, o excedente de consumo é injetado e usado por habitantes de outros municípios vizinhos. A subestação denominada de Viamão 3 - da TESB, empresa controlada pela CEEE-GT - onde os parques se conectam - está integrada com o SIN - Sistema Interligado Nacional / Região Sul.


Irineu Boff, presidente executivo do Grupo Oleoplan, holding da operação da Enerplan - Crédito Renan Abraham, divulgação

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Eólica - ABEEólica, nos últimos seis anos, o investimento feito pelas empresas da cadeia produtiva de energia eólica, já 80% nacionalizada, somam R$ 48 bilhões. Os investimentos são calculados em relação aos MW instalados. De 2017 a 2020, estima-se um investimento total de cerca de R$ 50 bilhões, considerando o que ainda está previsto para ser instalado. Em 2016, a geração de energia eólica cresceu 55% em relação a 2015, de acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica  - CCEE.

LEIA TAMBÉM:

ARTIGO: ENERGIA EÓLICA COMO FATOR DE DESENVOLVIMENTO E O PARQUE DO PONTAL

 

Imprima esta página